quinta-feira setembro 2, 2010 09:57

Reticências…

Posted by marcos-admin

Gosto de muito de usá-las e, com frequência, muito as uso…

Então resolvi pesquisar sobre o uso correto delas, já que muitos a usam exageradamente, em detrimento das regras gramaticais.

A princípio, sua definição:

As reticências (…) indicam interrupção da frase.

Essa interrupção é, muitas vezes, de caráter subjetivo, quando o autor pretende mostrar determinados estados emotivos:

  • hesitação,
  • ansiedade,
  • surpresa,
  • dúvida, etc.
  • E, na sequência, não um estudo gramatical (vi algo por aí que por demais enfadonho, ainda que útil), mas sim o que se pode esperar delas. Eis, portanto, o que aprendi sobre elas:

    Reticências…

    Gosto das reticências. Mais que isso, sou louco por elas, e a elas recorro sempre que preciso. E recorro sempre, porque preciso a todo instante…

    Quando me faltam palavras para expressar o que me vai no vasto universo interior dos sentimentos, deixo o serviço por conta das reticências. E sempre me faltam palavras para expressar o que sinto, porque meu vocabulário e minha capacidade de expressão são mais limitados do que eu gostaria, já que sempre me fica a impressão de não ter dado o contorno preciso ao texto, de forma que ele pudesse expressar, com exatidão, o que eu gostaria de ter dito…

    O socorro das reticências é sempre providencial, rápido, inequívoco. E – santa providência! – convida (intima mesmo) o leitor a participar do que está lendo, a interagir com o autor, e consigo mesmo, ao entrelaçar aquilo que foi escrito por outra pessoa com o que pensa ele próprio, com os seus sentimentos, com a sua história de vida, com os seus sonhos. Em outras palavras, as reticências são a deixa do autor para que o leitor pense, reflita sobre o que está lendo; e, como tal, um inescapável elo entre autor e leitor, nessa viagem única proporcionada pela leitura…

    Mas não é só por essa razão que uso e abuso das reticências. Sou verdadeiramente apaixonado por elas porque, para mim, são como irmãs muito próximas do silêncio. E, por vezes, o silêncio se faz tão necessário quanto respirar; daí sua vital importância. Ora, mas o que tem a ver as reticências com o silêncio? – poderia o paciente navegante estar agora se perguntando!…

    Para mim, tem tudo a ver. E tudo é, simplesmente, uma questão de conteúdo. Sim, de conteúdo!…

    As reticências podem dizer – para mim sempre dizem – muito mais do que o que vem explícito a bordo das palavras que compõem o texto, bastando, para tanto, que se assuma que o universo interior do leitor (assim como o do autor) é muito vasto, e, diante da deixa proporcionada pela protagonista deste meu texto, certamente irá ampliar, enriquecer o propósito, o sentido do texto que se lê…

    É exatamente o que ocorre com o silêncio. Sempre há (haverá) por detrás do silêncio mais conteúdo do que se poderia exprimir com palavras ditas – muito mais! Porque o silêncio também é amigo íntimo da reflexão, e esta a ponte que liga quem no silêncio mergulha ao porto seguro do seu universo interior, onde habitam todos os sentimentos que dão conteúdo e forma à sua alma…

    Se quiser saber o quanto de conteúdo há no silêncio de alguém, basta olhar fundo nos olhos de quem silencia…

    TSRossi
    Publicado no Recanto das Letras em 16/09/2005
    Código do texto: T50902

     

      Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (TSRossi). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

    Comment Form

    agosto 2020
    D S T Q Q S S
    « nov    
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    3031  

    Hora certa

    Estatísticas

    • Páginas exibidas :43946
    • Acessos únicos :16489
    • Acessos nas últimas 24 horas :21
    • Acessos únicos nas últimas 24 horas :1

    Visitantes de hoje


    ------------------------------ criação sitio
    ------------------------------
    FireStats icon Produzido pelo FireStats